Mico no Inter e mito no River: como Scocco fez história na Libertadores
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Mico no Inter e mito no River: como Scocco fez história na Libertadores

  •  River Plate x Jorge Wilstermann
    Scocco comemora um de seus gols diante do Jorge Wilstermann AFP
  •  Scocco - Internacional
    Ignacio Scocco atuou pelo Internacional em 2013 (Foto: Divulgação)
  •  Apresentacao de Scocco e Alex ao Internacional (Foto: Divulgacao/ Internacional )
    No Inter, foi apresentado ao lado do ídolo Alex ​ (Foto: Divulgação/Internacional)
  •  Scocco
    Scocco chegou ao River Plate em junho deste ano ​ Divulgação River Plate
  •  Scocco - Newell's Old Boys x Atlético-MG (Foto: Juan Mabromata/AFP)
    Pelo Newell's Old Boys, Scocco viveu melhor fase da carreira ​ (Foto: Juan Mabromata/AFP)
LANCE! - 26/09/2017 - 07:00
São Paulo (SP)
Mais do que o raro placar de 8 a 0 conquistado pelo River Plate nas quartas de final da Copa Libertadores diante do Jorge Wilstermann, na última quinta-feira, causou espantou no Brasil que cinco dos gols do time argentino na partida tenham sido anotados por Ignacio Scocco. O atacante ficou marcado no país por uma passagem breve e polêmica pelo Internacional. Agora, curte o momento de quem entrou para a história da competição mais importante da América do Sul.

Contra os bolivianos, Scocco, de 32 anos e 1,72 metro de altura, tornou-se o primeiro jogador a fazer cinco gols em uma mesma partida de mata-matas na Libertadores. Levar menos de 20 minutos para anotar três tentos foi outra marca inédita registrada no duelo. O mais curioso é que no jogo de ida, em Cochabamba, ele ficou marcado por perder um gol feito. Com a meta aberta e na pequena área, conseguiu chutar para fora.

Na história do torneio continental, disputado desde 1960, apenas outros cinco jogadores haviam conseguido balançar as redes adversárias cinco vezes em 90 minutos de bola rolando. Um deles foi o brasileiro Fernando Baiano, pelo Corinthians, em 2000. Eles ficam atrás apenas de Juan Sanchez, atacante do Blooming-BOL em 1985, que marcou seis na vitória por 8 a 0 diante do Deportivo Italia-VEN.

Scocco chegou ao River Plate em junho deste ano, após passar três temporadas no Newell’s Old Boys, time pelo qual se destacou em sua primeira passagem, de 2003 a 2006. Atuou por Pumas, AEK e Al Ain até ser contratado pelo Internacional, em junho de 2013. No mesmo período, fez dois gols pela seleção argentina em vitória sobre o Brasil no Superclássico das Américas.

Na estreia pelo Colorado, marcou duas vezes, diante do Botafogo, sob o comando do técnico Dunga. Apenas 42 segundos separaram esses dois gols, um recorde mundial registrado no Guinness Book.

Mas apenas o debute de Scocco foi histórico. Até o fim de sua passagem por Porto Alegre, em janeiro de 2014, foram mais dois gols, em 21 partidas. O atacante passou mais tempo no departamento médico do que em campo. Sem ter vaga cativa entre os titulares, situação oposta ao que vivera em outros clubes, não escondia de ninguém que morar no Brasil não o motivava.

Antes de ser vendido ao Sunderland, da Inglaterra, Scocco faltou à reapresentação do elenco do Inter para a temporada de 2014. Inicialmente, disse que havia perdido o voo em Buenos Aires, mas dias depois contou a real versão do fato. Aos dirigentes, alegou estar “sem adrenalina” para atuar no futebol brasileiro.

Pelo jeito, não falta adrenalina a Scocco vestindo a camisa 32 do River Plate, para azar do Lanús, adversário da equipe nas semifinais da Libertadores, nos dias 24 e 31 de outubro.


E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance