De volta à Série A, Colorado esbarra em adversários consolidados
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

De volta à Série A, Colorado esbarra em adversários consolidados

  •  Internacional 2018
    Depois de um ano afastado da Série A do Campeonato Brasileiro, o Inter volta à elite do futebol, comandado por Odair Hellmann  Divulgação
  •  Internacional 2003
    No primeiro Brasileirão por pontos corridos, em 2003, o Colorado terminou a competição em sexto lugar Reprodução
  •  Internacional 2004
    Tricampeão estadual em 2004, o Internacional encerrou sua participação no Brasileirão na oitava colocação  Divulgação
  •  Internacional 2005
    Em 2005, o time gaúcho, com 78 pontos, foi vice-campeão brasileiro. Só ficou atrás do Corinthians, que levou o título   Divulgação
  •  Internacional 2006
    Apesar de ter ficado em segundo lugar no Brasileirão de 2006, o Inter conquistou a Libertadores e o Mundial pela primeira vez  Divulgação
  •  Internacional 2007
    O Colorado levantou título da Recopa Sul-Americana em 2007, mas teve desempenho fraco no Brasileiro, terminando em 11º   Divulgação
  •  Internacional 2008
    Em 2008, o Internacional ficou em sexto no Brasileirão, mas foi campeão gaúcho e também conquistou a Copa Sul-Americana Divulgação
  •  Internacional 2009
    A campanha irregular custou o título ao Inter em 2009. Com a arrancada na reta final, o time garantiu o vice-campeonato Divulgação
  •  Internacional 2010
    Em 2010, a competição nacional foi deixada de lado e a Libertadores passou a ser prioridade. O Inter foi bi-campeão da América Divulgação
  •  Internacional 2011
    O Internacional conquistou a sua segunda Recopa Sul-Americana, em 2011, e concluiu sua participação no Brasileirão em quinto Divulgação
  •  Internacional 2012
    O Colorado oscilou entre a quinta e a sétima posição na competição nacional de 2012, mas encerrou sua participação em décimo Divulgação
  •  Internacional 2013
    Com uma campanha irregular em 2013, o Inter teve aproveitamento de 42% e garantiu o 14º lugar na tabela de classificação Divulgação
  •  Internacional 2014
    Em 2014, o Colorado conquistou vaga direta na Libertadores do ano seguinte, ao terminar o Brasileirão na terceira colocação Divulgação
  •  Internacional 2015
    Em 2015, o Inter foi campeão gaúcho pelo quinto ano consecutivo. No Brasileiro, não conseguiu ficar entre os quatro primeiros Felipe Gabriel
  •  Internacional 2016
    O clube gaúcho perdeu peças importantes no elenco, teve a pior sequência de sua história e acabou rebaixado em 2016 (Divulgação)
Talita Barcelos - 13/04/2018 - 07:20
Rio de Janeiro (RJ)
Eliminado do Gauchão, nas quartas de final pelo rival Grêmio, o Colorado teve 21 dias para focar nos treinos e se preparar para o jogo contra o Vitória, adversário da quarta fase da Copa do Brasil. O período de descanso forçado contribuiu para que a equipe levasse a melhor no duelo da última quarta-feira contra o Rubro-Negro Baiano. O Inter abriu vantagem no Beira-Rio, ao vencer por 2 a 1, no primeiro confronto com o Leão, pela competição nacional. Neste domingo, o Colorado volta a campo para encarar o Bahia, no Beira-Rio, em partida emblemática, que marca seu retorno à elite do Brasileirão. A estreia está marcada para às 16h. 

Sob o comando do técnico Odair Hellmann, ex-jogador do clube, que ocupava o cargo de auxiliar desde 2013, o time do Internacional passa por um processo de reconstrução. Em contraste com a realidade da equipe colorada, os seus rivais estão bem estruturados para o Campeonato Brasileiro. Além desse obstáculo, a falta de peças de reposição, jogares que possam suprir a ausência de lesionados, é uma barreira a ser superada neste ano.

Leandro Damião, por exemplo, não entra em campo desde o dia 21 de fevereiro, porque se recupera de lesão na coluna cervical. Um dos líderes da equipe, o goleiro Danilo Fernandes segue tratando uma lesão muscular na coxa direita. O goleiro, apesar de treinar, ainda cumpre planejamento traçado pela comissão técnica. O lateral-direto Dudu, submetido a cirurgia no antebraço esquerdo, também segue fora da equipe. Uendell ficou ausente por um tempo, devido a uma lesão no púbis, e retornou recentemente ao elenco. Fabiano e Willian Pottker também estão à disposição de Odair Hellmann, mas ficaram fora de algumas partidas por causa de dores musculares. 

O capitão D'Alessandro segue sendo a referência técnica da equipe. O meia de 36 anos é o atleta mais efetivo do elenco de Odair Hellmann. Neste ano, o jogador fez quatro gols e deu cinco assistências.

Vale ressaltar que mesmo com o bom desempenho do argentino, os torcedores do Internacional ainda estão desconfiados em relação a equipe. Dos 13 jogos disputados no Campeonato Gaúcho, o Internacional venceu seis, empatou quatro e sofreu três derrotas. O aproveitamento do time no Estadual foi de 56,41%. Se os cinco jogos da Copa do Brasil forem levados em consideração, a equipe melhora o rendimento: 64,81% de aproveitamento em 2018.


O que fez em 2018
Aproveitamento: 64,81% (10V, 4E e 4D)
Gauchão: eliminado nas quartas de final pelo Grêmio
Copa do Brasil: está na quarta fase

Opinião

Procurado pelo Lance!, o jornalista da Rádio Grenal, do Rio Grande do Sul, Thiago Rocha, fez uma análise da equipe do Internacional para o Campeonato Brasileiro. Thiago enfatizou que o Colorado procura se firmar como equipe, mas que por ser um time aguerrido, deve trazer dificuldade para os adversários. 

"O time do Internacional é um time que ainda está em reconstrução. Desde 2016, quando assumiu essa nova gestão, o presidente Marcelo Medeiros está tendo um árduo trabalho em função do legado que foi deixado pelo ex-presidente Vitorio Piffero. O atual mandatário, junto com o departamento de futebol, vêm tentando remontar a equipe do Internacional. Já mandou uma enxurrada de jogadores para outros clubes, já contratou vários atletas também. Em cima de toda essas mudanças, o Inter ainda tenta encontrar uma formatação. Talvez essa seja a principal dificuldade do técnico Odair Hellmann: montar um time que consiga suprir as necessidades do clube e os anseios da torcida. É uma equipe que está em busca de identidade.

Outro ponto importante é que o elenco atual que não tem a qualidade técnica necessária. Falta um pouco de primor nas jogadas trabalhadas, até no meio de campo. Mas é um time que não se entrega. É um time que busca conseguir um resultado positivo a todo instante. Acho que é uma equipe que vai batalhar a todo instante em busca de um resultado positivo.

O principal jogador do Internacional é o D’Alessandro. O ponto de interrogação envolvendo o meia é em relação ao físico. Há dúvidas se ele vai conseguir atuar nessa intensidade que ele vem jogando, durante toda a temporada. William Pottker é um jogador que foi artilheiro em 2016 e que começou muito bem a temporada de 2018, mas sofreu lesão. Leandro Damião terminou muito bem a Série B, mas acabou se machucando.

Está faltando peças no meio de campo do Internacional. É uma equipe de intensidade mas que precisa de qualidade técnica. Falta no Inter qualidade na criação de jogadas, nas ações ofensivas. O meu prognóstico é que o Colorado fique no meio da tabela. Não vejo como um dos piores elencos dentro do Campeonato Brasileiro, mas não tenho perspectiva do Inter brigar por títulos."

Thiago Rocha, Rádio Grenal, RS

Facebook Lance Twitter Lance