Técnico do Japão faz elogio a Felipão e vê Copa América como experiência
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Técnico do Japão faz elogio a Felipão e vê Copa América como experiência

Felipão Japão
Hajime Moriyasu demonstrou respeito ao técnico que ganhou o penta em seu país (Agência Palmeiras/Divulgação)
William Correia - 16/06/2019 - 19:22
São Paulo (SP)
Convidado na Copa América, o Japão tem um elenco quase todo composto por jogadores com menos de 23 anos de idade, que podem defender o país na Olímpiada do ano que vem. Mas estreará nesta segunda-feira, contra o Chile, mostrando respeito a um brasileiro vencedor em terras nipônicas: Luiz Felipe Scolari, comandante da Seleção vencedora da Copa do Mundo de 2002.

- Agora há pouco, tive a oportunidade de ir ao Palmeiras e encontrar com o Felipão, um grande técnico, internacionalmente respeitado. Ele já trabalhou no Japão também. É um técnico realmente grandioso, temos um enorme respeito por ele - declarou Hajime Moriyasu.


E MAIS:
O encontro entre Moriyasu e Scolari ocorreu na sexta-feira, quando a delegação asiática esteve na Academia de Futebol para treinar. O comandante do Palmeiras, que dirigiu o Jubilo Iwata no Japão no primeiro semestre de 1997, abriu mão de sua folga para recepcionar os japoneses e trocar camisas com o treinador nipônico.

Hajime Moriyasu tem 50 anos de idade, 20 a menos em relação a Felipão. E sua busca na Copa América é exatamente ganhar experiência, principalmente em relação à equipe que representará os anfitriões nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Só dois jogadores que compuseram o grupo vice-campeão da Copa da Ásia, em janeiro, vieram ao Brasil.

- A Copa América tem um nível muito parecido com o da Copa do Mundo. Os jogadores, que ainda têm experiência limitada, têm muito a aprender aqui. A ideia é que tenham um espírito desafiador para que a experiência sirva como base para uma ascensão maior. Mas o campeonato não pode ser só um aprendizado, que busquem a vitória e em uma vaga na seleção principal - disse o técnico, que não pôde chamar os principais jogadores por falta de liberação dos clubes, obrigados a ceder só em torneios da Fifa ou da Ásia.

- Sou o técnico do time olímpico e, dentro desse conceito, temos de buscar a vitória e correr atrás para que esses jovens tenham experiência. É claro que eu gostaria de ter convocado a seleção principal, mas precisamos ter o mesmo espírito de uma Copa do Mundo.

O Japão realizou na noite deste domingo, no Morumbi, o último treinamento antes da estreia na Copa América. No estádio do São Paulo, nesta segunda-feira, às 20h, a equipe enfrenta o Chile, pelo grupo C, que também tem Uruguai e Equador entre seus componentes.

Facebook Lance Twitter Lance