Da mobilização ao 'Ah, é Abdulla': a tarde do Qatar no Maraca
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Da mobilização ao 'Ah, é Abdulla': a tarde do Qatar no Maraca

  •  Paraguai x Catar
    Al-Moez foi coroado com o grito de 'Ah, é Abdulla' no Maracanã Carl DE SOUZA / AFP
  •  Paraguai x Qatar - climão
    À medida que torcedores chegavam, eram surpreendidos por distribuição de bandeirinhas e cachecóis do Qatar Vinícius Faustini
  •  Paraguai x Qatar - climão 2
    Ação rendeu apoio de várias nacionalidades (Vinícius Faustini)
  •  Paraguai x Qatar - climão 3
    Até um paraguaio guardou uma bandeirinha do Qatar (Vinícius Faustini
Matheus Dantas e Vinícius Faustini - 16/06/2019 - 17:30
Rio de Janeiro (RJ)
Uma das seleções convidadas da Copa América, o Qatar não demorou a chamar atenção dos torcedores que compareceram ao Maracanã neste domingo de forma inusitada. Em frente à rampa da Uerj, funcionários com identificação da Associação Qatári de Futebol (QFA) distribuíam bandeirinhas e cachecóis referentes ao país.

Assim que chegavam para a partida, torcedores de várias nacionalidades paravam e se confraternizavam usando o símbolo do Qatar.

A "cartada" rendeu até uma situação bem curiosa: alguns torcedores do Paraguai passavam pela bilheteria do estádio com bandeiras da seleção adversária deste domingo.

Nas arquibancadas, a adesão dos brasileiros foi também intensa. Além da adaptação de cânticos de torcidas brasileiras para apoiar o Qatar, a cada chance desperdiçada houve gritos de "uhhh!".

Também foram disparadas provocações a Gatito Fernández. Assim que Derlis González marcou o segundo gol paraguaio, alguns torcedores chegaram a ensaiar um "eu acredito" para os "guerreiros do deserto". 

Logo depois, o gol de Abdulla Al-Moez Ali trouxe outro momento de comemoração efusiva no Maracanã. O camisa 19 foi consagrado com gritos de "Ah, é Abdulla!".

Na reta final, a equipe comandada por Luiz Carlos Félix chegou ao ápice de sua consagração: assim que Khoukhi estufou a rede e decretou o empate, o estádio veio abaixo, praticamente em uníssono.

A reação qatári rendeu ainda reverências. A "torcida" entoou gritos de olé, gritou "vai para cima deles, Qatar" e, ao fim, celebrou o empate em 2 a 2, em tarde que ficará na memória dos jogadores da equipe asiática.

*Atualizado às 17h54

Facebook Lance Twitter Lance