Os craques que deixaram o vício acabar com suas carreiras
menu button lance
lancelogo lancelogo lance
LANCE

LANCE
X
Compartilhe


15/09/2017 | 06:50

Os craques que deixaram o vício acabar com suas carreiras

  •  Montagem - Adriano Imperador, Garrincha, Maradona e Gascoigne
    Adriano, Maradona, Garrincha e Gascoigne foram grandes craques em campo que acabaram deixando seus vícios estragarem o fim de suas careiras (Fotos: Lancepress!/Arquivo Lance!/Arquivo Lance!/AFP)
  •  Garrincha - Botafogo
    Garrincha brilhou nos anos 50 e 60 por Botafogo e Seleção Brasileira, mas viu o alcoolismo falar mais alto no final de sua carreira. Não conseguiu o mesmo sucesso por Corinthians e Flamengo e acabou falecendo em 1983, com apenas 49 anos, vítima de cirrose (Foto: M. Soares / Ag. O Globo / Arquivo Lance!)
  •  Adriano Imperador no Rio de Janeiro
    Adriano foi um dos maiores atacantes do mundo nos anos 2000, com passagens marcantes por Flamengo, Parma e Inter de Milão, além da Seleção Brasileira. A morte de seu pai em 2006 agravou seu problema com o álcool, que acabou o levando a decadência no futebol pelos clubes que passou a partir de 2010 Foto: Felipe Assumpção
  •  1968 - George Best (Manchester United)
    George Best é um dos maiores ídolos da história do Manchester United e do futebol da Irlanda do Norte. Craque nos anos 60, deixou o alcoolismo falar mais forte no fim da carreira e nunca mais foi o mesmo. Morreu em 2005, em decorrência da bebida STAFF / AFP
  •  Paul Gascoigne
    Paul Gascoigne brilhou nos gramados britânicos nos anos 80 e 90, mas sua carreira ficou marcada por seus problemas de alcoolismo. Nunca conseguiu se firmar como grande craque e sucumbiu ao álcool, contra quem luta até hoje (Foto: AFP)
  •  Ariel Ortega (foto:AFP)
    Ariel Ortega foi um dos grandes craques argentinos dos anos 90, onde brilhou no River Plate e herdou a lendária camisa 10 de Maradona na seleção. Porém, em sua terceira passagem pelo River, já no fim dos anos 2000, os problemas de alcoolismo ficaram cada vez mais fortes, culminando no fim melancólico da carreira do meia Ariel Ortega (foto:AFP)
  •  Maradona
    Maradona foi um dos maiores nomes da história do futebol. Mas poderia ter ido ainda mais longe. Seu problema com drogas no início dos anos 90 o fez ter passagens bem abaixo do esperado por Sevilla, Newell's Old Boys e Boca Juniors, onde encerrou a carreira em 1997 Maradona
  •  Jobson - Botafogo
    Jobson explodiu no fim dos anos 2000, porém, seus problemas com bebidas e drogas encurtaram demais sua breve carreira no futebol. O atacante foi suspenso não apenas uma vez por doping e ficou conhecido mais por aparições no caderno de polícia do que no de futebol (Foto: Vitor Silva / SS Press)
  •  Jardel (Bolton Wanderers) 2003/04
    Jardel foi um dos maiores artilheiros do futebol mundial na passagem dos anos 90 para os 2000. Brilhou por Vasco, Grêmio, Porto, Galatasaray e Sporting, mas depois nunca mais conseguiu se firmar em nenhum clube, devido a seu vício por drogas (Foto: Reprodução)
SEUCLUBE
atlético mineiro
botafogo
corinthians
cruzeiro
flamengo
fluminense
gremio
internacional
palmeiras
santos
sao paulo
vasco
Siga nas redes sociais
Facebook Lance Twitter Lance