Marcos Felipe tem sonho de ser ídolo do Fluminense e analisa chances na Libertadores
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Marcos Felipe tem sonho de ser ídolo do Fluminense e analisa chances na Libertadores

Marcos Felipe - Fluminense
Marcos Felipe, durante entrevista coletiva no CT Carlos Castilho (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
LANCE! - 02/04/2021 - 13:57
Rio de Janeiro (RJ)
Titular e vivendo boa fase, o goleiro Marcos Felipe começa a colher os frutos da formação dentro do Fluminense. Com contrato até junho de 2022, o arqueiro abriu conversas para extensão do vínculo e, nesta sexta-feira, em entrevista coletiva no CT Carlos Castilho, preferiu não se alongar no assunto, mas admitiu o sonho de continuar construindo sua história nas Laranjeiras. Ao longo da carreira, ele só deixou o Flu por um breve período em 2015, quando foi emprestado para o Macaé.

> Libertadores pode ter apenas dois times brasileiros como cabeças de chave

- Meu empresário ficou responsável por essa parte. Ainda não tive informação se vai renovar, se não vai. Isso fica a cargo dele. Só me preocupo em trabalhar e ajudar o Fluminense dentro de campo. Logicamente sabemos que um jogador se manter em um clube por muito tempo é complicado. Não depende só do atleta. Depende de várias questões. Mas meu sonho sim é me tornar ídolo do clube, fazer história, ganhar títulos, ficar, se possível, minha carreira toda aqui, mas não depende só de mim, depende de uma série de questões. Mas eu vou fazer o possível para fazer minha carreira toda no Fluminense - afirmou.


Veja a tabela do Campeonato Carioca

Elo forte na última temporada, a defesa tem sido motivo de contestações neste início de Campeonato Carioca. Ainda sem a estreia de Luccas Claro, que deve acontecer na próxima rodada, o Flu vem sofrendo gols em todos os jogos. Marcos Felipe analisou o momento. São três vitórias, três derrotas e um empate na competição.

- Sabemos que o futebol é coletivo. Não podemos simplesmente pontuar a parte defensiva como ponto frágil da equipe. Temos que ver em um todo o que tem acontecido. Não saímos culpando o setor defensivo ou individualmente os jogadores. Procuramos tentar um ajudar ao outro, para que todos os setores venham a ser melhorados - disse.

Mesmo formado na base, Marcos Felipe tem 24 anos e já é visto como uma das referências do elenco, que cada vez mais é formado por jovens.

- Acho até engraçado que o Nenê sempre brinca comigo: “Olhando para você, nem parece que você é menino de Xerém também”. É uma alegria muito grande poder estar olhando para aqueles que estão vindo da base e vendo que hoje estou como titular da equipe. É gratificante demais poder auxiliar, eles estarem olhando o trabalho que faço. É só melhorar cada vez mais para que todos possam evoluir juntos.


E MAIS:
LIBERTADORES

A Libertadores só começa no fim de abril, mas as atenções, inevitavelmente, estão voltadas para o torneio. O Fluminense voltará a disputar a competição após oito anos e os jogadores já começam a projetar. Marcos Felipe, um dos 60% dos jogadores titulares que vão atuar no torneio pela primeira vez, respondeu se o Tricolor poderia ser considerado um "patinho feio".

- Nós procuramos demonstrar dentro de campo a força da nossa equipe. Independentemente dos comentários que tenham do nosso elenco, da nossa equipe, se somos o “patinho feio” ou não, nós demonstramos dentro de campo. Já fizemos isso no fim do Brasileiro, demonstrando que merecemos estar com essa vaga na Libertadores. Agora é trabalhar cada vez mais para darmos resultado e mostrarmos que podemos estar onde estamos - comentou.

- Todo jovem sonha em jogar uma Libertadores. É uma ansiedade muito boa. Nada que atrapalhe o psicológico ou o físico, tático, técnico... Ansiedade boa de ter colocado novamente o Fluminense em um posto que nunca deveria deixar de estar, que é entre os grandes clubes da América do Sul e do mundo. Espero que possamos fazer uma boa campanha - completou.

O Fluminense está no mercado em busca de reforços para as competições da temporada. Além dos já contratados Samuel Xavier e Wellington, o clube negocia com Matheus Babi, do Botafogo, Willian Bigode, do Palmeiras, está próximo de David Braz, do Grêmio, e tem interesse em Jean Pyerre, também do clube gaúcho.

- Todo jogador que chegar vai agregar para o elenco. Temos campeonatos muito longos, várias competições para jogar. Vai necessitar de todo mundo, vai precisar de um elenco forte e grande. A diretoria tem feito muito esforço para fazer com que o elenco cresça. Independentemente de peça e de nome, quem vier está vindo para ajudar o Fluminense a conquistar títulos esse ano - concluiu.


Facebook Lance Twitter Lance