Emprestado a time de Bangladesh, Robinho estende contrato com o Fluminense até outubro
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Emprestado a time de Bangladesh, Robinho estende contrato com o Fluminense até outubro

Robinho - Fluminense
Robinho foi contratado pelo Fluminense em 2017, mas não teve espaço (Foto: Lucas Merçon/ FLUMINENSE F.C.)
Luiza Sá - 08/04/2021 - 17:59
Rio de Janeiro (RJ)
Emprestado ao Bashundhara Kings, de Bangladesh, o atacante Robinho estendeu o contrato com o Fluminense até o dia 31 de outubro de 2021. O vínculo anterior se encerrava em agosto deste ano e o motivo da renovação é que ele fique por lá até o fim da temporada local. No empréstimo, firmado em agosto de 2020, ficou acordado que o Flu não arcaria com os salários do atleta e havia a opção de compra ao fim do vínculo de um ano.

> Rumo à Libertadores: Confira os maiores artilheiros do Fluminense na competição

O novo contrato, com alteração salarial, saiu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF na última terça-feira, dia 6. Robinho foi contratado em 2017 por 2 milhões de euros (cerca de R$ 7,4 milhões), e seus direitos econômicos estão divididos entre o Tricolor, com 55%, e o Atibaia-SP, onde foi revelado. 


Na época do acerto com o Bashundhara Kings, o diretor de futebol do Flu, Paulo Angioni, disse ao "ge" que a ideia era que, caso Robinho não fosse contratado em definitivo, o Fluminense abrisse mão de uma parte dos direitos econômicos do jogador para não precisar mais arcar com os altos salários dele. Assim, ficaria apenas com 30% como forma de ainda ter chance de retorno financeiro no futuro.

Veja a tabela do Campeonato Carioca

Contratado na esperança de ser um novo Richarlison, Robinho chegou ao Fluminense após se destacar na Série B pelo Figueirense. Ele fez 30 jogos pelo clube das Laranjeiras, sendo titular em apenas seis deles, e marcou quatro gols. A última partida pelo Tricolor foi em 7 de junho de 2018, na derrota por 2 a 0 para o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro.

Desde então, o atleta vem passando por empréstimos em que o Flu precisou arcar com parte dos salários. América-MG, CSA, Vila Nova, Água Santa e, por fim, o Bashundhara Kings, de Bangladesh. Este foi o primeiro em que a equipe carioca não pagou nada, já que vinha arcando com parte dos salários. Lá, ele fez 10 jogos em 2021 e marcou 10 gols.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance