Ao L!, goleiro Bruno fala sobre homenagens em título brasileiro, inspirações e boa fase no Flamengo
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Ao L!, goleiro Bruno fala sobre homenagens em título brasileiro, inspirações e boa fase no Flamengo

Bruno - Sub-17 do Flamengo
Bruno foi campeão brasileiro sub-17 no último fim de semana (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Lazlo Dalfovo - 24/08/2019 - 09:10
Rio de Janeiro (RJ)
Destaque no imponente título do Campeonato Brasileiro Sub-17 pelo Flamengo, o goleiro Bruno fez questão de recordar com detalhes a conquista nacional, cujo caneco foi levantado após duas vitórias sobre o Corinthians na decisão (6 a 4 no placar agregado).

Em entrevista ao LANCE!, o goleiro de 17 anos, que chegou ao Flamengo em julho de 2017 após passagens por Betim e Brasilis, também falou sobre a homenagem aos antigos companheiros que morreram no incêndio do Ninho do Urubu em fevereiro deste ano. 

- Essa conquista tem um sabor especial. É o primeiro titulo do ano de expressão, e foi o primeiro Campeonato Brasileiro Sub-17. 2019 tem sido difícil e, sem dúvida, perdendo ou ganhando a final, a gente já tinha feito história. Aquele título foi pelos dez amigos que estão lá em cima. O titulo foi mais para eles, que merecem e estão torcendo com a gente. Queríamos eles aqui! A gente mereceu demais a conquista pelo que estamos vivendo - disse, lembrando, em seguida, de sua reação quando soube do triste ocorrido no CT do Flamengo:



- Eu havia disputado um campeonato em janeiro em Santiago, no Chile, e na volta eles nos deram férias. Eu conversava com os meninos direto pelo celular. Eu estava dormindo em casa e acordei assustado porque chegaram muitas mensagens no meu celular. Temos um grupo com os outros jogadores e ouvi um áudio do Samuel falando o que estava acontecendo. Acordei desesperado e corri pra a TV. Na hora, a minha reação foi acordar a minha mãe. Quando voltei e li direito, só conseguia chorar. Não passava absolutamente nada na minha cabeça. Perdi dez amigos! Voltei para o CT um mês depois e sensação foi muito estranha. Foram dois anos morando lá e sempre havia muita alegria no ambiente. Mas foi estranho voltar depois do que aconteceu.

Bruno respondeu sobre Bernardo Pisetta, outro que era goleiro, que foi uma das vítimas fatais do incêndio e que havia começado no esporte jogando futsal no Vale do Itajaí, até ser contratado pelo Athletico-PR, em 2016. Em agosto do ano passado foi contratado junto ao Flamengo.

- O Bernardo também era goleiro, então tínhamos uma ligação a mais. A família dele me acolheu muito bem e nossa relação era sensacional. Eu brincava muito com ele até ficar bravo, mas depois passava. Tento levar não só o nome dele, mas do Rykelmo (do time sub-17), outro que era muito próximo, e dos outros meninos sempre comigo. Eles mereciam estar aqui com a gente - falou Bruno.

INSPIRAÇÕES E BOA FASE

Diego Alves e Bruno - Flamengo
Diego Alves inspira Bruno (Foto: Reprodução / Instagram)
Bruno deixou o Brasileiro Sub-17 com holofotes, já que brilhou na decisão, com defesas consecutivas num momento no qual o time de Phelipe Leal estava sendo pressionado pelo Corinthians, em Cariacica (ES). Além disso, nas semifinais, contra o São Paulo, foi decisivo na disputa por pênaltis.




As inspirações de Bruno, que estava no elenco campeão da Copa do Brasil da categoria neste ano, são o lendário italiano Buffon e Diego Alves, titular do Flamengo desde meados de 2017. E a promessa nascida em 2002 encerrou a respeito da boa fase e da expectativa em defender a Seleção Brasileira,

- Fiz um campeonato muito bom e fui bem nos dois jogos da final. Quando precisou, pude ajudar. Nas finais senti que fui um dos destaques. Não foi fácil chegar aqui. Trabalhei muito no dia a dia pra poder ajudar desta forma.

- Seleção é retorno do trabalho. Individualmente sinto que minha oportunidade está próxima, mas há outros goleiros de alto nível também que sonham com essa vaga. Mas se me deram um oportunidade eu aproveitarei da melhor maneira possível. Vestir a camisa da Seleção será um sonho. Muitos amigos falam que tenho potencial para isso, mas vejo como uma motivação para realmente conquistar essa oportunidade - finalizou Bruno. 


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance