Marco Antônio Lage explica pedido de demissão do Cruzeiro
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Marco Antônio Lage explica pedido de demissão do Cruzeiro

Cruzeiro
Lage ficou 10 meses no cargo e trouxe novas receitas para o Cruzeiro
Valinor Conteúdo - 05/11/2018 - 19:08
Belo Horizonte
Após anunciar a sua demissão do cargo de vice-presidente executivo do Cruzeiro no último sábado, Marco Antônio Lage divulgou uma carta de despedida ao torcedor explicando os motivos da sua saída do clube.

Lage indicou que vai ajudar o clube no que puder com seus contatos e parcerias comercias, mas que a saúde financeira do clube dependerá de ajustes nas contas e na gestão da Raposa.
O executivo chegou ao Cruzeiro no início deste ano, egresso da FIAT, e foi responsável por novos patrocínios e acordo comerciais para o clube, gerando novas receitas. O Cruzeiro ainda não se pronunciou oficialmente sobre a saída de Marco Antônio Lage. Confira a carta deixada pelo ex-dirigente.



À Naçäo Azul

Não somos donos do nosso destino. Por vezes, os mais audaciosos planos, os melhores sonhos precisam ser interrompidos.

Estou diante deste momento e motivos pessoais exigem agora que eu deixe as funções de vice-presidente executivo do Cruzeiro Esporte Clube. O tempo foi curto, insuficiente para concluir a missão que propus há um ano: profissionalizar a gestão do clube, trazendo uma visão de administração mais moderna e digital, com foco em plataformas de novos negócios nacionais e internacionais que o Cruzeiro tanto precisa para hoje, amanhã e para os seus próximos 100 anos.

Mas ainda assim me sinto vencedor, não somente pelos títulos de 2018, mas por ter realizado alguns negócios criativos e inovadores que podem e devem abrir caminhos. Um deles foi a criação da Unincor 5 Estrelas, a universidade do Cruzeiro. Se bem conduzido, certamente este projeto será um “case”, uma referência de marketing e negócios. Além de conectar a marca Cruzeiro ao tema educação (valor de reputação), é uma mina de ouro, uma alternativa inédita para atrair receita para o futebol. Como o Cruzeiro é sócio do negócio, a cada 5 mil cruzeirenses que se matricularem na Unincor o clube garantirá para seus cofres um montante anual nos mesmos valores de um patrocinador master, sem para isso ocupar espaço na camisa.

Trazer a Fiat de volta ao Cruzeiro também foi outra negociação importante. Parcerias com marcas globais sempre atraem alianças mais fortes para o clube. E não menos importante foi estruturar o Instituto 5 Estrelas, uma maravilhosa iniciativa que vai incluir milhares de crianças em situação de vulnerabilidade social à cidadania, através do esporte, e ainda ajudar a imagem e a reputação do Cruzeiro resplandecer.

Deixo as funções executivas no clube, mas continuarei contribuindo com outras soluções criativas para que o Cruzeiro possa superar a mais grave crise financeira da sua história.

Isto, aliás, não é um “privilégio” só do Cruzeiro Esporte Clube. A maioria dos clubes de Futebol no Brasil está nessa situação lamentável. O futebol brasileiro está sendo derrotado pelas dívidas.

O momento difícil realmente exige a participação de grandes cruzeirenses.

Prestes a fazer 100 anos, no dia 2 de janeiro de 2021, o Clube precisa urgentemente ser saneado. E isso significa cortar na própria carne e mexer criativamente e responsavelmente até no seu patrimônio. Para isso é preciso criar uma agenda consensual de longo prazo, sem política, sem rancor. Porque o principal desafio desta magnífica instituição, a curto prazo, ainda maior que a conquista de mais uma Copa Libertadores (que este ano nos foi tirada pela arbitragem) é iniciar seu segundo século de vida, que se inicia em 2 de janeiro de 2021, com saúde financeira e a memória em dia. Só assim poderá olhar para o futuro e projetar mais 100 anos de glórias. É apenas isso que a torcida quer. E é tudo que ela merece.

À essa Nação Azul, a todos os funcionários do clube, aos colegas de diretoria, aos parceiros comerciais e patrocinadores, aos conselheiros, aos jornalistas, à comissão técnica e aos talentosos jogadores - que neste ano deu dois títulos também para este cruzeirense aqui -, o meu muito obrigado pelo respeito e convivência.

Depois de conhecer o Cruzeiro mais por dentro, sou ainda mais cruzeirense. Amo ainda mais esse manto sagrado. Não esquecerei que o Cruzeirão Cabuloso é mais que uma religião, mais que uma grande paixão. É um estilo de vida. Onde eu estiver, as cinco estrelas estarão pulsando ao lado do meu coração, onde sempre estiveram desde os meus tempos de menino sonhador em Itabira.

E, quem sabe, um dia poderei voltar para ajudar a construir um legado do tamanho da importância deste clube e desta torcida gigantesca, à qual volto a me juntar.

Somos Cruzeiro e nada mais interessa! Até breve!

Marco Antônio Lage



E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance