Sistema ofensivo segue sendo o 'Calcanhar de Aquiles' do Corinthians
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Sistema ofensivo segue sendo o 'Calcanhar de Aquiles' do Corinthians

Corinthians x São Caetano - Jadson
O meia Jadson, responsável por orquestrar o ataque, ficou sem opções durante a maior parte do tempo do jogo contra o São Caetano (Foto: Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)
Yago Rudá - 21/01/2019 - 08:10
São Paulo (SP)
A estreia do Corinthians no Campeonato Paulista, empate em 1 a 1 com o São Caetano, não foi das melhores, longe disso. O time não conseguiu desenvolver um bom futebol e apresentou os mesmos problemas das duas últimas temporadas: dificuldade para propor o jogo ofensivo. Assim como foi na primeira passagem de Fábio Carille pelo Timão, do início de 2017 até maio de 2018, a equipe se mostrou competitiva e com um sistema defensivo consistentes. Mas ainda há muito o que melhorar.

É bem verdade que, nesta etapa da temporada, quando os jogadores e comissões técnicas tiveram, em média, duas semanas de trabalho, a qualidade do futebol ainda não é das melhores. Mesmo assim, pela apresentação do Corinthians no último domingo, fica claro que Carille pretende repetir a receita que lhe rendeu dois títulos do Paulistão e um do Brasileirão. Por mais uma temporada, o Alvinegro deve apresentar uma proposta de jogo reativa, apostando na força de sua defesa.

Contra o São Caetano, assim como também tinha sido no amistoso contra o Santos, de Sampaoli, o Corinthians apresentou linhas muito bem montadas. O sistema defensivo, que ainda deve receber os reforços de Guilherme Arana e Manoel, apresentou a mesma consistência de anos passados. O problema, pelo menos aparentemente, deve ser, de novo, o ataque.



E MAIS:
O Timão teve muita dificuldade para chegar à área do Azulão. No segundo tempo, mesmo com as entradas de Pedrinho, Mateus Vital e Mosquito, o problema permaneceu. É bem verdade que o time passou a ter mais profundidade, principalmente pelo lado esquerdo, com Jadson e Danilo Avelar, mas as bolas cruzadas na área não surtiram efeito algum. Sozinho entre os marcadores, o centroavante Gustavo, que fez boa partida, não conseguiu ter nem uma chance sequer de finalizar com perigo. No fim, o zagueiro Henrique empatou e fez a alegria dos mais de 30 mil torcedores que pagaram ingresso.

É claro que a comissão técnica do Corinthians sabe das carências do elenco. Haja visto que o clube contratou o argentino Mauro Boselli e ainda está atrás de Vagner Love. O estilo de jogo proposto por Carille já se mostrou competitivo em outras temporadas. Se consertar os erros do sistema ofensivo e oferecer condições para os atacantes balançarem as redes adversárias, o clube do Parque São Jorge entra em 2019 como uma das grandes forças do futebol brasileiro.

Facebook Lance Twitter Lance