Ameaça de morte e casa apedrejada: as barreiras de Witsel até a semifinal
menu button lance
lancelogo lancelogo lance
header-CopaDoMundo

Ameaça de morte e casa apedrejada: as barreiras de Witsel até a semifinal

Axel Witsel
Witsel é titular na seleção belga e estará na semifinal da Copa do Mundo (Foto: AFP) 
Marcello Neves - 10/07/2018 - 06:15
Rio de Janeiro (RJ) 
A seleção da Bélgica se destaca na Copa do Mundo pelos seus astros. Eden Hazard, Kevin De Bruyne e Romelu Lukaku são destaques no ataque mais poderoso do torneio. Mas a seleção belga conta com outros jogadores, menos badalados e tão importantes quanto o trio. Caso de Axel Witsel, volante do Tianjin Quanjian, que precisou superar ameaças de morte e a casa de seus pais sendo apedrejada até chegar a titularidade nesta semifinal.

Antes de se tornar um destaque silencioso na seleção, Witsel viu a sua carreira ser afetada negativamente em 2009. Durante o maior clássico do Campeonato Belga, quando ainda defendia o Standard Liége, o volante entrou em uma dividida e fraturou a tíbia e a fíbula do polonês Marcin Wasilewski, destaque do Anderlecht. As cenas fortes devido a lesão fizeram a crítica fazer um massacre ao garoto de 21 anos, na época.

Witsel foi expulso enquanto os atletas choravam em campo ao ver Wasilewski se contorcer em dores no gramado. Após a partida, o volante foi suspenso por oito jogos e multado financeiramente. Mesmo após o pedido público de desculpas, teve que suportar a ira dos torcedores e foi tratado como "mau-caráter" pela imprensa. O jovem promissor se tornou um criminoso.



A repercussão fez com que Witsel fosse ameaçado de morte por torcedores do Anderletch, além de sofrer ataques racistas devido a sua cor. Também viu a casa onde seus pais moravam ser apedrejada. No próprio Stantard Liége, clube que defendia, o volante passou a ser vaiado a cada toque na bola, o que obrigou uma transferência prematura para o Benfica em 2011.

Longe do país, Witsel deu a volta por cima e cresceu na carreira. A passagem pelo Benfica não chamou atenção, mas as grandes atuações vieram no Zenit, por onde atuou por cinco temporadas até aceitar uma proposta milionária do futebol chinês. As suas atuações pela seleção belga criaram um ambiente de anistia junto aos torcedores belgas, ajudando a melhorar a sua passagem.

França e Bélgica entram em campo às 15h (de Brasília) desta terça-feira, para decidir quem será a primeira finalista da Copa do Mundo de 2018. Quem vencer vai à decisão contra o vencedor de Inglaterra e Croácia, que se enfrentam na quarta-feira. A decisão será no domingo, às 12h, em Moscou.


E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance