Com 7 a 1 nas costas, Fernandinho falha de novo em eliminação de Copa
menu button lance
lancelogo lancelogo lance
header-CopaDoMundo

Com 7 a 1 nas costas, Fernandinho falha de novo em eliminação de Copa

  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
  •  Brasil x Belgica
    Brasil x Belgica AFP
William Correia - 06/07/2018 - 17:21
São Paulo (SP)
Na prioridade dada por Tite para os jogadores usarem na Copa do Mundo os mesmos números de seus times, ficou inviável a 25 vestida por Fernandinho no Manchester City, já que a Fifa só permite de 1 a 23. Coube ao volante usar a 17. Levava literalmente nas costas os números da histórica derrota por 7 a 1 para a Alemanha em 2014, na qual foi, sem dúvida, um dos piores em campo. E nesta sexta-feira, mais uma vez, ele fica marcado por uma atuação individual horrível em uma frustração brasileira na busca pelo hexa.

É claro que Fernandinho foi uma vítima de um time que sentiu falta exatamente de Casemiro, suspensoe  substituído pelo volante do Manchester City. Mas é inegável também que o absurdo gol contra que ele fez, abrindo a derrota por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan, aos 13 minutos de jogo, afetou diretamente o desempenho dos comandados de Tite.

É difícil encontrar explicação para um jogador, sem nenhum adversário nem próximo, subir para cabecear, errar o tempo de bola e ainda a deixar bater em seu braço direito. O goleiro Alisson não tinha nem como fazer nada para ajudar o meio-campista. Que não se complicou apenas enquanto esteve sozinho.

Fernandinho terminou o primeiro tempo sem acertar nenhum desarme. No posicionamento da Bélgica, acabou sobrando para ele enfrentar De Bruyne, o mais talentoso dos adversários, e o brasileiro caiu no chão logo no primeiro confronto, deixando o meia em condições de finalizar. Pouco depois, foi facilmente driblado por Lukaku na lateral. Na sequência, o gol contra.

E Fernandinho demorou a acertar. É importante ressaltar que o Brasil atacava fazendo pressão e deixava um buraco para os talentosos belgas. Como há quatro anos, contudo, parecia que Fernandinho via Kross e companhia à sua frente, errando quase tudo que arriscava. Inclusive, quando tentou por duas vezes parar a arrancada de Lukaku no lance do gol de De Bruyne, aos 31.

Diferentemente do que fez Luiz Felipe Scolari, que sacou Fernandinho depois de levar 5 a 0 no primeiro tempo diante dos alemães em 2014, Tite bancou o meio-campista. Deixou-o em campo até o fim. E viu, de novo, Fernandinho errar passes fáceis e muitos dos botes que tentou.

Mas até que o volante acumulou alguns acertos enquanto o Brasil ocupou de vez o campo da Bélgica, pressionando e fazendo o gol com Renato Augusto. Fernandinho conseguiu "acertar" até na tentativa de fazer falta, levando cartão amarelo aos 40 minutos do segundo tempo por parar arrancada de Hazard. Porém, já era impossível compensar o prejuízo de seu péssimo primeiro tempo.

No domingo, a derrota por 7 a 1 para a Alemanha, nas semifinais da Copa do Mundo de 2014, completará quatro anos. Fernandinho já teria de conviver com as lembranças que certamente farão daquela partida, com ele aparecendo decisivamente nos primeiros gols germânicos. Nesta sexta-feira, para sua tristeza e dos brasileiros, ele tem mais um episódio que gostaria de esquecer com a camisa da Seleção em uma Copa do Mundo.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance