Cerca de um ano após acidente, Chape tropeça em erros na sua busca por 'reconstrução'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Cerca de um ano após acidente, Chape tropeça em erros na sua busca por 'reconstrução'

  •  Plínio de Nês Filho
    Plínio de Nês Filho é escolhido como mandatário da Chapecoense, após o mandato interino de Ivan Tozzo Sirli Freitas/Chapecoense
  •  Rui Costa
    Rui Costa chega para fazer parte da direção de futebol do clube Divulgação
  •  João Carlos Maringá - diretor de futebol da Chapecoense
    João Carlos Maringá é um dos dirigentes de futebol da Chapecoense Divulgação
  •  Vagner Mancini e dirigentes da Chapecoense
    Vagner Mancini é anunciado como treinador da Chapecoense ainda em dezembro (Foto: Divulgação)
  •  Apresentação de Wellington Paulista
    Chegam 37 jogadores entre dezembro e janeiro Divulgação
  •  apresentação Chapecoense (Foto: Reprodução / Twitter)
    Elenco novo se apresenta, e tem presença de Neto, sobrevivente do acidente apresentação Chapecoense (Foto: Reprodução / Twitter)
  •  Chapecoense - campeã catarinense
    Chapecoense começa o ano de forma promissora, ao vencer mais um Catarinense, diante do Avaí Sirli Freitas/Chapecoense
  •  Zulia x Chapecoense - Libertadores (07/03/2017)
    A equipe estreia na Libertadores batendo o Zulia por 2 a 1 (Foto: JUAN BARRETO / AFP)
  •  Lanús x Chapecoense - Libertadores
    A Chape ainda fica na segunda colocação e garante vaga no Grupo 7 da Copa Libertadores Divulgação
  •  Luiz Otávio (Chapecoense)
    Porém, perde vaga, devido à escalação irregular de Luiz Otávio. Clube afirma que não recebeu informação de suspensão (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
  •  Chapecoense x Cruzeiro
    Equipe ainda é eliminada na Copa do Brasil, diante do Cruzeiro Marcio Cunha/Light Press/Cruzeiro
  •  Chegada do técnico Wagner Mancini
    Mancini é demitido em julho, após sequência de cinco jogos sem vitória (Foto: Marco Favero/Agencia RBS)
  •  Vinícius Eutrópio - na Chapecoense
    Vinícius Eutrópio é anunciado dias depois como seu sucessor na Chapecoense. É sua segunda passagem no clube . Reprodução
  •  Vinicius Eutrópio encerra preparação da Chapecoense para enfrentar o Cruzeiro
    Porém, treinador dura apenas dois meses e sai com equipe amargando Z4 do Brasileiro (Foto: Sirli Freitas / Chapecoense)
  •  Emerson Cris
    Em seu lugar, entra o auxiliar Emerson Cris, que fica como técnico em algumas partidas Foto: Sirli Freitas/ Chapecoense
  •  Flamengo x Chapecoense
    Chape é eliminada na Sul-Americana, com direito a goleada para o Flamengo Luciano Belford/AGIF
  •  Gilson Kleina
    Gilson Kleina é anunciado como treinador da Chapecoense para a sequência do Brasileirão. Busca é de que ele fique até 2018 Thaynara Lima / Lance!
Vinícius Faustini - 20/10/2017 - 15:41
Chapecó (SC)
A busca por uma reestruturação após a tragédia que vitimou 71 pessoas na Colômbia vem trazendo uma série de obstáculos à Chapecoense. Após um início de ano promissor, com a conquista do Campeonato Catarinense e um bom desempenho da Copa Libertadores, o clube vê seu planejamento se comprometer devido a uma série de erros.

Organizada a toque de caixa, a nova cúpula da Chape arregaçou as mangas para 2017. Vagner Mancini foi anunciado como treinador e, aos poucos, foram desembarcando 37 jogadores para formar o elenco (incluindo nomes com Wellington Paulista e Douglas Grolli). De acordo com o diretor de futebol, João Carlos Maringá, o trabalho, feito ao lado de Rui Costa, foi desafiador:

- O início foi muito difícil, chegamos e não tínhamos jogador. Tivemos de reconstruir tudo em 15 dias, incluindo Natal e Ano Novo. Trabalhamos na véspera de Natal, não sabíamos como funcionaria este grupo até o dia 6 de janeiro. Só a partir dos treinos é que começamos a ter uma visão melhor do grupo - relembrou, ao LANCE!.

Aos poucos, a equipe encontrou entrosamento e tomou o rumo até o título catarinense (conquistado após a final com o Avaí). Entre altos e baixos, a Chapecoense passou de fase em campo no Grupo 7 da Copa Libertadores. No entanto, a presença de Luiz Otávio na vitória por 2 a 1 sobre o Lanús, em La Fortaleza, custou muito caro:

- Fomos campeões estaduais, passamos de fase na Libertadores. Mas tivemos aquela questão da Conmebol. Sabíamos que o Luiz Otávio seria julgado, mas não que estava punido. Faltavam dois minutos para a partida começar quando soubemos! Chegamos a perguntar para o delegado da partida se não tinha condições de fazermos uma nova súmula. Ele disse que não, então fomos jogar, ganhamos com o gol do próprio Luiz Otávio, mas depois tiraram a nossa vitória.

Vice-presidente jurídico do clube, Luiz Antônio Pallaoro também atribui a perda de pontos da partida contra o Lanús à falta de informação. Ao LANCE!, Pallaoro

- Nós não recebemos o e-mail da Conmebol sobre a suspensão do jogador (Luiz Otávio). Ficamos sabendo da punição de três jogos apenas em campo. Caso soubéssemos disto, sequer o levaríamos para jogar. Tentamos ao máximo, na Conmebol e até na Fifa, com ajuda de advogados no Rio de Janeiro, para irmos até o último recurso e não perdermos os pontos.


Gilson Kleina
Kleina será o quarto treinador diferente que comandará a Chape na temporada (Thaynara Lima / Lance!)
DANÇA DAS CADEIRAS' FICA FREQUENTE NA EQUIPE

A partir de julho, a Chapecoense conviveu com instabilidade em outra área: o cargo de treinador. Após o empate em 3 a 3 diante do Fluminense, em 4 de julho, Mancini foi demitido, devido à série de cinco jogos sem vitória.

- A demissão do (Vagner) Mancini aconteceu mais por questão de resultados mesmo. Tínhamos caído de produção, viemos de uma ausência de vitórias e precisávamos dar uma resposta. Mas, claro, que somos muito agradecidos a ele, pelo processo de reconstrução que ajudou a ter na equipe e pelo título catarinense - revela Maringá.

O diretor de futebol detalhou como foi lidar com a repercussão negativa da saída de Vagner Mancini.

- Tivemos muitas críticas da imprensa nacional. Mas de longe é fácil falar, só nós que sabemos onde o sapato aperta. De qualquer forma, Mancini é um ótimo profissional - disse, sobre o técnico que saiu com 20 vitórias, nove empates e 16 derrotas.

O clube catarinense agiu rápido e, no dia seguinte, recorreu a um nome bem conhecido na Arena Condá. Vinícius Eutrópio foi o encarregado de colocar a Chapecoense nos eixos. Porém, a pífia campanha (quatro vitórias, dois empates e 11 derrotas) e a ida da equipe para o Z4 do Brasileirão causaram sua demissão depois de dois meses.

- O Vinícius (Eutrópio) ficou um período muito curto, infelizmente. É um excelente profissional. Tanto que nosso interino, Emerson Cris, ficou por cinco, seis jogos, muito bem no comando por conta disso, do legado que ele deixou - disse João Carlos Maringá, ao LANCE!.

Na décima-segunda colocação, após a vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-MG em pleno Independência, a equipe catarinense parte para um novo treinador. E, segundo o dirigente, a busca é por um trabalho mais extenso:

- Agora, vamos apresentar o trabalho do (Gilson) Kleina. Ele vem já em torno de um projeto voltado para montar a equipe de 2018.

João Carlos Maringá aponta como a Chapecoense vem encarando esta reta final do Brasileirão. A equipe catarinense está com 18% de risco de rebaixamento, segundo o site Infobola:

- A meta era buscarmos dias melhores. Sabíamos que não seríamos campeões, o Brasileiro é uma competição muito difícil. Mesmo assim, recusamos a possibilidade de não sermos rebaixados neste ano, e hoje estamos lutando para ficar na Série A, entre os melhores do país.


E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance