OPINIÃO: 'O Brasileirão e a hora dos choques de realidade'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

OPINIÃO: 'O Brasileirão e a hora dos choques de realidade'

Montagem - Alberto Valentim, Barbieri e Lisca
'Encerrados os Estaduais, resta saber como cada clube encarará os choques da realidade da elite nacional' (Reprodução)
Vinícius Faustini - 23/04/2019 - 08:20
Rio de Janeiro (RJ)
As demissões de três técnicos após perderem finais estaduais no último domingo evidenciaram o quanto alguns times de Série A tendem a iniciar o Brasileiro aos solavancos. Como os treinadores anteriores não passaram na "prova final" das competições, os clubes agora se desdobrarão uma missão árdua: apresentar nomes capazes de trazer resultados a toque de caixa.

Entre o "trio" que trocou de treinadores (Vasco, Goiás e Ceará), o Cruz-Maltino é que tem o maior desafio. Embora tenha mostrado brio no Maracanã contra o Flamengo e conte com jogadores de qualidade, o clube da Colina segue com problemas crônicos para atacar e tende a se encolher quando está ganhando. A saída de Alberto Valentim será suficiente para tirar a caravela da rota deste marasmo, ainda mais contra times de ponta?

Além disto, para um "recomeço do zero" às portas do Brasileiro, o novo treinador precisará de calmaria para mobilizar o clube (depois de um Estadual que foi conturbado nos bastidores). Uma equipe em desavença e que tem oscilações do meio para a frente torna-se presa fácil, em especial contra adversários de alto nível. Prova disto foi o revés para o Santos.



Em sua volta à elite, o Goiás é outro clube que tende a lidar com atropelos nas primeiras rodadas do Brasileiro. A saída de Maurício Barbieri, questionado por ser um treinador incapaz de dar poder de decisão ao time (que, além de amargar o vice-campeonato para o Atlético-GO, caiu na Copa do Brasil), pode custar caro no início da maratona do Brasileirão. Em um 2019 no qual o Esmeraldino visa a permanência na elite, é hora da diretoria decidir rapidamente seu sucessor no cargo.

Já no Ceará, Lisca viu a derrota para o Fortaleza como ponto final de sua nova passagem no clube onde outrora foi "bombeiro". O Vozão, que se salvou com relativa segurança da degola em 2018, já designou quem comandará a equipe na sequência deste ano. Enderson Moreira, por mais que comece seu ciclo às portas do Brasileiro, terá de mostrar serviço rápido e dar à equipe uma cara mais convincente do que no seu início de temporada.

Encerrados os Estaduais, resta saber como cada clube encarará os choques da realidade da elite nacional.

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance