menu button lance
lancelogo lancelogo lance

'Futebol deu lugar a um espetáculo deprimente, de ódio', diz promotor do MP

  •  Briga no Engenhão antes de Botafogo x Flamengo
    Na vitória do Flamengo sobre o Botafogo, por 2 a 1, Nilton Santos foi marcada por momentos de conflitos de torcidas  Foto: Armando Paiva/AGIF
  •  Violência - Botafogo x Flamengo
    No jogo, houve a morte de Diego Silva Santos e oito feridos (um deles perdeu a visão) (Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Image/Lancepress!)
  •  Botafogo x Flamengo
    Efetivo policial estava reduzido devido a protestos de familiares de PMs (Imagem: Reprodução de internet)
  •  Torcedor chora após presenciar correria e confusão antes do Botafogo x Flamengo no Nilton Santos (Foto: Igor Siqueira)
    Torcedores ficaram aos prantos em meio ao caos nos arredores do estádio Torcedor chora após presenciar correria e confusão antes do Botafogo x Flamengo no Nilton Santos (Foto: Igor Siqueira)
  •  Botafogo x Flamengo
    Postagem do Flamengo no Twitter rendeu polêmicas e até uma 'resposta' do Botafogo pela rede social Reprodução
RADAR / LANCE! - 16/02/2017 - 16:41
Rio de Janeiro (RJ)
O recente episódio de conflitos entre organizadas de Botafogo e Flamengo nos arredores do Nilton Santos fará com que o Ministério Público tomar uma medida drástica: exigir que os clássicos do Rio de Janeiro tenham torcida única nas arquibancadas. O promotor do MP-RJ, Rodrigo Terra, crê que a decisão não é a ideal, mas aponta como única solução imediata para o momento:

- A decisão é incompatível com a alegria do futebol, que atrai as festas de torcidas opostas. Porém, hoje há uma necessidade de garantir um bem maior do torcedor. Ele não pode mais ir para o estádio e ficar refém das brigas entre organizadas. Ao tomar esta medida excepcional, o MP seguiu, inclusive, o exemplo de São Paulo, que eliminou muitos conflitos de torcidas com a decisão de só permitir torcida única em clássicos realizados no Rio de Janeiro - afirmou nesta quinta-feira, ao LANCE!.   

Terra aponta que a violência nos estádios atingiu níveis impensáveis, e os casos ocorridos no triunfo por 2 a 1 do Flamengo sobre o Botafogo foram mais um capítulo triste de como o futebol vem abrindo espaço para a incitação ao ódio:

- Os conflitos entre organizadas seguem em uma escala crescente, e chegaram ao ponto de ser comparadas à barbárie. Os episódios ocorridos entre Botafogo e Flamengo deixaram evidente que o futebol hoje é lugar a um espetáculo deprimente de ódio, violência, incompatível com a ideia do Estado garantir a segurança.

O advogado detalhou que o MP vem esbarrando em uma série de dificuldades para dar segurança aos torcedores da forma como prevê o Estatuto do Torcedor. 

- Desde que o Estatuto do Torcedor definiu a segurança como um os pilares do direito do torcedor, exigindo tranquilidade para antes, durante e depois dos jogos, o Ministério Público tem buscado soluções para evitar os conflitos. Algumas medidas foram implementadas e não renderam, e outras sequer saíram do papel, como o cadastro de integrantes de organizadas. Tudo isto foi contribuindo para a experiência de caos na qual estamos.

Em seguida, Rodrigo Terra destacou que o combate à violência nos estádios não acaba com a decisão da torcida única. Os próximos alvos do MP-RJ são as organizadas:

- Nosso objetivo é de que os integrantes de cada organizada sejam identificados por nome, CPF e RG, e a sensação de anonimato e de impunidade que assola as torcidas do Rio de Janeiro acabe. Além disto, contamos com a conscientização dos clubes para diminuir a carga destinada para esta leva de torcedores. A torcida única é uma atitude drástica, mas uma prova de que queremos dar um "basta" à intenção de transformar estádios em uma praça de guerra.

SEUCLUBE
atlético mineiro
botafogo
corinthians
cruzeiro
flamengo
fluminense
gremio
internacional
palmeiras
santos
sao paulo
vasco
Siga nas redes sociais
Facebook Lance Twitter Lance