'Brasil se ressente de plano estratégico no combate à violência no futebol'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

'Brasil se ressente de plano estratégico no combate à violência no futebol'

  •  Imagens da confusão em São Januário - Vasco x Flamengo
    Até o momento, são dez confusões espalhadas pelos gramados das Séries A e B Reprodução/ L!TV
  •  Botafogo x Atlético MG
    A mais recente foi no último domingo, quando integrantes de organizada do Botafogo fizeram emboscada a atleticano Vitor Silva/SSPress/Botafogo
  •  Confusão em São Januário
    As confusões da torcida do Vasco geraram cenas de barbárie ao fim do clássico diante do Flamengo sábado Reprodução
  •  Confusão no Beira-Rio - Internacional 1x1 Criciúma - 8/7/2017
    No mesmo dia, torcedores do Internacional fizeram cenas de vandalismo no Beira-Rio após jogo com Criciúma (Foto: Reprodução)
  •  Atlético MG x Cruzeiro
    Antes da vitória por 3 a 1 do Atlético-MG sobre o Cruzeiro, oito torcedores são presos em 2/7/2017 Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
  •  Confusão no Beira-Rio - Internacional 1x1 Boa Esporte - 1/7/2017
    Em 1/7/2017, o tropeço contra o Boa Esporte rendeu graves protestos no Beira-Rio (Foto: Reprodução/YouTube)
  •  Confusão no Serra Dourada - Vila Nova 2x0 Goiás - 24/7/2017
    Em 24/6/2017, o Serra Dourada foi palco de uma confusão entre torcedores de Goiás e Vila Nova (Foto: Reprodução/YouTube)
  •  Confusão no Bento Freitas - Brasil 1x1 Internacional
    Horas antes de Brasil de Pelotas e Inter, torcedores dos dois clubes brigaram em Pelotas, em 24/6/2017 (Frame)
  •  Internacional x Paraná
    Ao fim do tropeço diante do Paraná, torcedores do Inter atiraram cadeiras para o campo, no dia 20/6/2017 Jeferson Guareze/AGIF
  •  Briga no Couto Pereira - Coritiba 0x0 Corinthians - 18/6/2017
    Em 18/6/2017, torcedores do Corinthians sofreram uma emboscada de torcida do Coritiba no caminho do Couto Pereira Geraldo Bubniak/AGB
  •  Confusão em São Januário - Vasco 2x5 Corinthians - 7/6/2017
    Em 7/6/2017, houve confusão nas sociais, nas arquibancadas e do lado de fora de São Januário após derrota do Vasco para Timão Reginaldo Pimenta / Raw Image
Mauricio Murad* - 10/07/2017 - 17:37
Rio de Janeiro (RJ)
O combate à violência no futebol requer várias formas de trabalho para alcançar uma eficácia. Não basta a punição a clubes e a organizadas.

A curto prazo, também é necessária a identificação dos culpados, com aplicação de leis previstas no Código Penal, como formação de quadrilha. As condutas também têm de repressivas até o fim.

Além disto, há medidas preventivas que podem ser muito eficazes a médio prazo. A principal é monitorar as redes sociais, pois emboscadas a adversários são plantadas com antecedência, tanto na Internet quanto em aplicativos de celulares. A lei permite o monitoramento telefônico, basta pedir autorização. A prevenção tem se mostrado sete vezes mais rápida do que a repressão.

A mobilização também tem de ser feita como um trabalho a longo prazo. É ideal levar craques de vários clubes para conscientizar os torcedores sobre tolerância com quem torce para outra equipe.

Lamentavelmente, o Brasil se ressente de um plano estratégico, que vise por completo uma mudança cultural no futebol. Além disto, vivemos uma crise na polícia, o que atrapalha o monitoramento das redes sociais e outras condutas repressivas e preventivas.

Neste cenário, surgem canetadas, como a "torcida única", que as experiências no fim de semana comprovam que são paliativas. Em São Januário, a torcida do Vasco brigou entre si, a do Flamengo não fez nada! No Beira-Rio, a torcida do Internacional é quem brigou com a polícia, sem nenhum conflito com o Criciúma.

Há outra coisa para a qual as pessoas têm de se conscientizar. A punição esportiva tem de ser apenas complementar. Diante de imagens claras das brigas nos estádios, é urgente que haja uma criminalização individual de quem pratica violência no futebol.

*Mauricio Murad é sociólogo

E MAIS:
icone-carregar-comentCreated with Sketch.
CARREGAR COMENTÁRIOS
Facebook Lance Twitter Lance