Reserva de luxo, Cavalieri volta ao time titular com números positivos
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Reserva de luxo, Cavalieri volta ao time titular com números positivos

Diego Cavalieri
Cavalieri terá nova chance como titular (Foto: Vitor Silva/Botafogo)
Fernanda Teixeira - 04/09/2019 - 07:00
Rio de Janeiro (RJ)
Convocado para defender a seleção do Paraguai, Gatito Fernández desfalca o Botafogo, no próximo domingo contra o Atlético-MG. A ausência do titular, no entanto, não preocupa a torcida nem a comissão técnica do Alvinegro. Contratado no início do ano, após a aposentadoria de Jefferson, o reserva de luxo tem agradado quando entra em campo e os números comprovam que ele mantém o alto nível do ídolo paraguaio.

Cavalieri entrou em campo seis vezes na temporada, três delas pelo Campeonato Brasileiro. A última vez foi no intervalo da derrota por 3 a 2 para o Internacional, no domingo, depois que o camisa 1 sentiu tontura e a visão turva no vestiário. O suplente não teve culpa nos gols sofridos e fez pelo menos três defesas que evitaram um placar mais elástico para os gaúchos.

A rotina de salvar o Botafogo, quando exigido já se repetiu algumas vezes, para Cavalieri, em 2019. Nos três jogos pelo Brasileirão, o goleiro de 36 anos fez dez defesas, sendo cinco delas consideradas difíceis, uma média de 1,7 por partida. Gatito em 15 jogos fez um total de 39 defesas, 15 delas difíceis, o que dá uma média um pouco inferior de uma defesa complexa por partida. O titular foi vazado 14 vezes e o reserva, quatro.



Nos lançamentos longos, fundamento cada vez mais exigido na posição, os dois jogadores também têm estatísticas parecidas. Diego Cavalieri lançou 21 bolas longas, 13 delas certas, o que dá uma média de acertos de 61,9%. Já Fernández fez 141 lançamentos, 65 deles certos, com média de 46,1%. Nos passes mais curtos, ambos têm uma precisão acima de 97%.

O bom desempenho do segundo goleiro não passou despercebido pela diretoria, que já acenou para a possibilidade e renovação com o jogador por mais um ano. O contrato de Cavalieri é válido até o dia 31 de dezembro deste ano e a extensão do vínculo seria uma solução viável para o clube, em caso do titular ser negociado.

Durante a Copa América, quando atuava pela seleção paraguaia, Gatito recebeu sondagens para deixar o Botafogo. Diante de um cenário de asfixia financeira no Alvinegro, a saída do jogador na próxima janela de transferências não está descartada.

O goleiro reserva do Glorioso deixou o Fluminense no fim de 2017, depois de seis temporadas, rumo ao Crystal Palace, da Inglaterra. Sem oportunidades no time estrangeiro, retornou ao Brasil, no ano seguinte, para atuar pelo Alvinegro e ocupar a vaga deixada pela aposentadoria de Jefferson.


Outras mudanças
Além da entrada de Diego Cavalieri, o técnico Eduardo Barroca tem testado algumas alterações no time principal. O lateral-direito Marcinho agradou quando foi deslocado para atuar como meia avançado e marcou o segundo gol da equipe contra o Inter.

Outra novidade pode ser a presença do atacante Vinicius Tanque, com Diego Souza deixando a função de centroavante para jogar mais recuado. O jogador, que não vestia a camisa do Glorioso desde 2017, retornou de empréstimo e foi incorporado ao elenco. O contrato de Tanque com o Botafogo termina em abril de 2020 e ele se torna uma opção a mais para Barroca, dentro de um plantel enxuto, com poucas peças de reposição.

O atacante Rodrigo Pimpão ainda se recupera de uma lesão no pé direito e ainda é dúvida para a partida.  No primeiro treino com bola da semana, na última terça ele não participou e seguiu em tratamento no Departamento Médico. O jogador ainda será reavaliado durante a semana. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance