Botafogo joga para evitar eliminação e calibrar o ataque pré-Aguirre
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Botafogo joga para evitar eliminação e calibrar o ataque pré-Aguirre

Kieza - Botafogo
Após início arrasador, Kieza está há dois JOGOS sem marcar. Hora de saudar a rede (Foto: V. Silva/SSPress/Botafogo)
Lazlo Dalfovo - 11/03/2018 - 07:30
Rio de Janeiro (RJ)
O Botafogo chega para o confronto diante do Volta Redonda, neste domingo, às 17h (de Brasília), no Estádio Raulino de Oliveira, sem poder se dar o luxo de perder diante dos mandantes. E mais: precisa buscar a vitória de uma maneira mais tranquila em relação aos últimos jogos e fazer engrenar o ataque antes da chegada de Rodrigo Aguirre, em iminente acerto e que só poderá atuar no Campeonato Brasileiro. 

Para o decisivo duelo pelo Grupo C, o técnico Alberto Valentim não deve contar com Ezequiel, ainda com dores após uma pancada sofrida no último jogo, contra o Bangu. O duelo diante dos Alvirrubros, aliás, serve de lição para a equipe. Isso porque, em meio à badalação pré-Aguirre, o ataque do Glorioso, apesar de ser mais produtivo e melhor abastecido desde a chegada de Valentim, ainda deve quanto à eficiência nas chances criadas. 

- Temos que melhorar em todos os aspectos, mas eu estaria muito mais preocupados se não tivéssemos criando, no campo do adversário. Temos criado muito e tenho cobrado para sermos mais efetivos - avaliou Valentim, em entrevista coletiva da última sexta-feira. 

Ainda sem poder contar com Aguirre, a ser anunciado nas próximas horas, Alberto Valentim repetirá o time que vem atuando desde o início da Taça Rio, período que coincide com o seu início de trabalho. A única exceção, forçada, deve ser mesmo a saída de Ezequiel. Luiz Fernando é a opção mais provável, embora Leandro Carvalho também tenha boas chances, para jogar junto a Rodrigo Pimpão e Kieza.

Um desfalque certo é o goleiro Jefferson. O goleiro de 35 anos ainda está em processo de recuperação de um edema no tornozelo, apesar de já estar treinando sem limitações. Matheus Fernandes e Renatinho, por sua vez, permanecem em fase de transição. 

Cabe destacar que, em caso de derrota do Botafogo e vitória de Fluminense e Portuguesa, diante de Nova Iguaçu e Cabofriense, respectivamente, o time da Estrela Solitária dá adeus à Taça Rio. Precisa entrar mais ligado do que nunca.

DE OLHO NO RIVAL

Do outro lado, se não há a confiança do pressionado Botafogo, enaltecida por Valentim na coletiva, há desespero. O Volta Redonda, depois de três jogos seguidos fora, volta à sua casa com a necessidade de alcançar apenas a segunda derrota no Carioca e evitar ficar no Z2 da classificação geral e participar da indigesta seletiva do do ano que vem.

- Sabemos que, a cada jogo que passa, vai complicando, ficando mais difícil para sairmos dessa situação, pois não conseguimos as vitórias. Mas tivemos três jogos seguidos fora de casa, contra dois adversários diretos e não perdemos para eles. Agora, é trabalhar fortes para enfrentarmos o Botafogo, que é um adversário difícil, mas temos que tentar sair dessa situação - comentou o meia Marcelo. 

E MAIS:
Facebook Lance Twitter Lance