Geninho admite: 'Atraso salarial não atrapalhou na campanha do acesso'
menu button lance
lancelogo lancelogo lance

Geninho admite: 'Atraso salarial não atrapalhou na campanha do acesso'

  •  Geninho
    Geninho leva o Avaí ao acesso do futebol nacional em 2019. Confira imagens do treinador (Foto: Divulgação / Avaí)
  •  Renovação de Geninho
    Renovação de Geninho Foto: Reprodução/Twitter
  •  Geninho e Marquinhos
    Geninho e Marquinhos Divulgação
  •  Geninho
    Geninho (Foto: Divulgação / Avaí FC)
  •  Geninho
    Geninho (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Carlos Bandeira de Mello - 30/11/2018 - 07:15
Rio de Janeiro (RJ)
O Avaí retornou à Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro em 2019. Na temporada, o clube catarinense mostrou regularidade durante a campanha da Série B, o que levou o Leão a conquista do acesso. Contudo, paralelamente ao bom rendimento nos gramados, teve uma questão que poderia atrapalhar no desfecho da temporada: os atrasos salariais. Porém, não foi bem assim.

O principal responsável pelo acesso, o técnico Geninho, em entrevista exclusiva ao LANCE!, admitiu que foi um problema a mais fora de campo, mas a situação foi bem conduzida pela diretoria e comissão técnica para que os jogadores pensassem somente dentro das quatro linhas. Além disso, espera que a campanha da próxima temporada seja melhor. 

- A questão salarial foi muito bem conduzida e isso não atrapalhou em nada. Nós procuramos conversar com os jogadores, fazendo o grupo entender que quem poderia entender e reverter a situação eram eles. Com as vitórias e colocar dinheiro em caixa, quitando as dívidas. Em nenhum momento isto foi divulgado, e isso não atrapalhou em nenhum momento o rendimento do clube caiu para atrapalhar a caminhada para o acesso. Foi bem administrado e agora os atletas vão ser recompensados, já que o clube vai ter uma condição financeira melhor, sanando as dívidas. E com certeza, fazer um 2019 melhor. 

No fim da temporada, o Avaí terminou a Série B, com 61 pontos, na terceira posição, o que representou 53,5% de aproveitamento. O comandante, que renovou seu contrato, ressaltou que essa conquista é para provar para os mais céticos, que os técnicos experientes podem ainda disputar com a nova geração, que está surgindo.  

- A conquista deste acesso é muito importante. Prova para mim, não para os outros, que eu ainda tenho condição de estar trabalhando, de continuar atingindo meus objetivos. Contrariando a opinião de muita gente, que acha que quando o profissional chega em uma certa idade, ele já não dá resultado. É uma realização!

Mesmo com problemas salariais, o técnico Geninho afirmou que não teve dificuldades para implementar o seu estilo de jogo. Ele iniciou uma estratégia, mas teve que alterar por conta de lesões de jogadores durante a disputa nacional. Mesmo assim, a equipe não perdeu a intensidade e a regularidade ao longo da competição nacional.  

- Não tive nenhuma dificuldade para impor meu estilo de jogo. No momento em que cheguei mudei o modo da equipe, com um 3-5-2. Depois, com muitas perdas, tivemos que alterar, com um quase 4-3-3. Como todo mundo viu, o grupo manteve a regularidade - afirmou. 


Avaí
Avaí retorna à Série A em 2019 (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F. C.)
- Além do trabalho para conquista do acesso, foi a consciência do grupo, que acreditou no projeto e que podia atingir seus objetivos, muito forte e unido. Com essa força de vontade, foi tudo favorável para conseguir chegar à Série A - complementou.

Com o acesso concluído, o clube já deve pensar o planejamento para 2019. Deste modo, a diretoria tem que apresentar novos conceitos e não passar por problemas. Segundo o treinador, a ideia é manter o time e conseguir explorar as categorias de base para auxiliar na campanha. E o pensamento já deu certo neste ano. Um dos atletas que se destacou foi o lateral-direito Guga, de 19 anos. 

- Nós vamos iniciar um trabalho com pé no chão. Colocar os salários em ordem, tudo aquilo que tinha ficado para trás ter ficado em ordem, para que possamos ter um 2019 mais tranquilo. O primeiro passo é tentar manter o grupo, a base. Tentar renovar com os jogadores que foram bem na Série B, puxar garotos da categorias de base para formar o elenco e iniciar o regional de maneira mais tranquila e ir qualificando mais para frente. E conseguir a permanência na Série A - disse. 

LANCE!: O que aconteceu em 2014, quando assumiu o clube, conseguiu o acesso, mas no início da temporada seguinte acabou saindo do clube?

Geninho: Em 2014, eu subi com o time e sai logo no início de 2015, porque eu não fiz o campeonato regional, apenas algumas partidas do começo. As coisas não andaram da maneira que planejado e já pressentia que não haveria evolução. Com isso, eu pedi demissão logo do início do Estadual. E tudo que eu havia previsto, aconteceu e o clube foi rebaixado.

LANCE!: Como viu a campanha do Avaí na competição nacional? 

Geninho: Na minha opinião, o Avaí teve pouca irregularidade durante o Campeonato. Teve alguns jogos que não conseguiu o resultado, alguns dentro de casa, o que deixou a torcida chateada. Porém, a recompensa foi fora de casa, com melhor aproveitamento, melhor ataque e defesa. Ou seja, mostrou regularidade.

LANCE!: Como você analisa a nova geração de treinadores, que cresceu muito neste temporada? 

Geninho: Eu vejo essa nova geração com muita qualidade. Muita gente boa, que vai fazer história no nosso futebol, com muito gás e conhecimento. Com relação aos mais velhos, todo mundo tem que ser reciclar, se parar no tempo vai ficar para trás, mas é uma coisa que todo mundo pode fazer e está à disposição, como internet, TV, cursos, viagem. Quem quiser se atualizar, está tudo na mão. Além disso, a experiência ajuda e tem situações que os mais novos não sabem lidar, porque está lidando pela primeira vez. Mas vem uma geração muito boa por aí.


Facebook Lance Twitter Lance